Zé Pereira lança disco independente com ajuda de financiamento coletivo

DJ SOUND

Zé Pereira lança disco independente com ajuda de financiamento coletivo

Paulistanos usaram Catarse como plataforma de crownfunding para dar vida ao primeiro disco!

Gravado no Veredas Estúdio, o primeiro disco da trajetória da Zé Pereira é homônimo e independente.

Tal feito foi conquistado com a ajuda de amigos e fãs que financiaram o trabalho de Felipe de Paula (voz e guitarra), Lucas Pierri (baixo) e Felippe Rodrigues (bateria e percussão) através do Catarse, famosa plataforma online direcionada para crownfunding.

Ou seja, as pessoas que acreditam no projeto doam quantias de diferentes valores, recebem recompensas e ainda ajudam artistas da cena independente a realizarem seus sonhos.

Com produção de Zé Pereira, Rafael Posnik e Iran Ribas, que também assina a mix e a master, o álbum conta com participações especiais de Gustavo Borges, Maiana Monteiro, Luri Mantoani, Fernando Foca, Norma Odara e Marina Melo.

A estética é definida como Tropical Urbano e o som como Pop-Latino-Experimental que, basicamente, quer dizer a junção de nuances de ritmos quentes do norte e nordeste somado a temática árida da capital paulista.

“Esse é um álbum contemplativo e solar que retrata o cotidiano de personagens de uma grande cidade como São Paulo.

As canções falam de quereres, movimentos, das dificuldades de ser, de estar e de viver em uma metrópole.

E talvez a mensagem principal seja a de que questionar os problemas seja inevitável quando se mora em uma grande cidade”, explica o vocalista Felipe de Paula.

O disco composto por dez faixas é iniciado com “Belo Belo”, com uma melodia poética que percorre pelo campo da sensualidade e exalta os quereres, que no final criam um universo próprio, cheio de experimentações e texturas.

Outra que se destaca é “Pulso”, que inspirada em gírias rápidas do Baiana System destaca locais clássicos de São Paulo, como a Rua Augusta, Avenida Paulista e seus habitantes, apresentando um ska dançante e que define a cidade cinza.

“Voador” traz o swing do axé para contar a história de um catador de produtos recicláveis. É uma canção forte que sintetiza tudo o que a Zé Pereira é.

Não por menos, foi escolhida para encerrar o disco.

Para essa criação, os paulistanos juntaram suas principais referências que vão do tropicalismo à lira paulistana.

O atual momento da música brasileira também é um fator inspirador para o trio que bebe da fonte de artistas como Liniker, Metá Metá, Lucas Santtana, Dona Onete, Curumim e Siba, para citar alguns dos exemplos.

Inspirado pela estética da xilogravura, a ilustração da capa do trabalho, criada por Kiko Dinucci, emite exatamente a mensagem que os integrantes da queriam passar desde o início: discurso do tropical concreto.

“As xilos falam dos personagens e da metrópole, enquanto a escolha das formas geométricas e as cores criam uma atmosfera mais atual e atenta ao som”, explica Felipe.

Nos próximos dias, os músicos se preparam para o show de lançamento que acontece em 04 de novembro (sábado), na Associação Cultural Cecília (SP), e já contam com outros compromissos na agenda, como apresentações no Teatro da Rotina e Breve.

Álbum Completo:

SOBRE ZÉ PEREIRA:

Com a intenção de explorar seus trabalhos autorais e trazer novas adaptações para músicas já conhecidas pelo público, Zé Pereira é um projeto idealizado por Felipe de Paula e Felippe Rodrigues, ambos acompanhados pelo instrumentista Lucas Pierri.

O repertório é formado por canções que mesclam ritmos bem brasileiros como samba, brega, axé e bossa.

As letras revelam o potencial de criação do trio, onde o social, o sentimental e o conceitual ganham espaço.

É a musica popular na sua essência mais pura.

É o pulsar do coração na lotação, no tambor, nas manifestações e na rede.

 

Print Friendly, PDF & Email

Comente