Rozzen, dupla em alta rotação conquista playlists e voa alto!

DJ SOUND

Rozzen, dupla em alta rotação conquista playlists e voa alto!

O duo Rozzen, formado pelos irrequietos Lucas Stiw e Chesk, oriundos de Cascavel (Paraná), é sem dúvida um dos artistas novos em franco crescimento, em menos de dois anos estão totalmente “Music On!” no seu estúdio.

Em apenas um ano, uma sério de lançamentos, incluindo pela Warner Music, os posicionou no mercado, incluindo a conquista de importantes playlists nas plataformas de streaming, incluíndo o ultra desejado Topsify onde perfilaram ao lado de nomes como Calvin Harris, David Guetta, Vintage Culture só para citar alguns.

Os lançamentos estão ocorrendo por gravadoras como Warner Music (através do selo DJ Sound Music: www.instagram.com/djsound_music | https://www.facebook.com/djsoundmusicrecords), Universal Music entre outros.
A música é feita com instrumentos acústicos e eletrônicos, um mix que deu certo e tem origem nos primórdios da formação musical dos rapazes.

Parcerias com a cantora Juliana Barbosa (www.instagram.com/julianabarbosamusic), onde são responsáveis por muitos dos singles; e Radiomatik (www.instagram.com/radiomatik), entre outras funcionaram muito bem até aqui.

O último single lançado foi “Por Toda Nossa Vida” com Raphael Siqueira (www.instagram.com/djraphaelsiqueira), e o Salto (www.instagram.com/osaltomusicsession).

E o próximo programado para dia 29 de março é uma collab com Kellow (www.instagram.com/kellowzin), “You And I”, que deve escalar adentrar em playlists.

Batemos um papo com os caras num raio-X, afinal tratam-se de duas figuras de boníssima vibe que devem alçar voos ainda mais altos neste 2019.

1. Falem um pouco do seu primeiro contato com a música no geral, e o contato com a música
Eletrônica?
Lucas Stiw: Meu primeiro contato com a música no geral foi desde criança, acredito que como.
todo mundo ouvindo de tudo. Com a música eletrônica foi em 2003 mais ou menos, com a compilação “Summer Eletro Hits” (Austro/Som Livre).

Chesk: Desde criança cantarolava músicas. Aos oito anos comecei a estudar violão e a partir daí
levei a música como profissão. Comecei a ouvir e me interessar por música eletrônica em
meados de 2007/2008 quando trabalhei numa empresa de eventos. Sempre colocava David
Guetta pra tocar nas festas.

2. Onde aprenderam a técnica DJing?
Lucas Stiw: Fiz um curso com um grande amigo onde aprendi o básico, e com o passar dos anos fui estudando e cada vez mais e evoluindo.

Chesk: Aprendi com meu grande professor e parceiro Lucas Stiw.

3. Qual a visão de vocês como produtores musicais e DJ´s num mercado cada vez mais competitivo como o do Brasil?

Rozzen: Assim como em qualquer outro gênero musical, acreditamos que a singularidade do artista é o que o difere dos demais.

4. Qual o set-up atual do vosso estúdio?
Rozzen: Monitor de áudio DynAudio Acoustics, Interface de áudio Motu Track 16, KeyboardAlesis Q49, Microfone Audio Tehcnica, Guitarra Fender Stratocaster, Guitarra Gibson Les Paul, Violão Martin, Violão Nylon Yamaha e muitos plug-ins e VST’s.

5. Qual a decisão mais importante na sua vida para dedicar-se a música de forma profissional?
Rozzen: Priorizar a carreira, abrindo mão de amizades, lazer, família, faculdade, etc.

6. A partir de que momento passaram a planejar sua carreira? Recorreram a algum profissional para lhes orientar?
Rozzen: Desde a consolidação do Rozzen há 15 meses atrás. Tivemos orientações de amigos do ramo, e sempre estamos buscando informação para nos aprimorarmos cada vez mais.

7. Descobrindo os meandros da profissão o que lhes motivou, e qual foi o maior desafio até
aqui?
Lucas Stiw: Sair da zona de conforto para buscar novos desafios.

Chesk: Participei de um reality show na televisão onde um artista no qual tenho grande admiração me recusou.

Foi um grande impacto em minha vida que logo fora transformado num grande impulso.

8. E maior insight no segmento até o momento, qual foi?

Lucas Stiw: Juntar-me com Renan Chesk.
Chesk: Tive uma boa visão de mercado, onde migrei de um estilo que era meu preferido desde criança, para me dedicar à música eletrônica.

9. Quais são os planos atuais?
Rozzen: O plano A é consolidar o Rozzen no mercado nacional. E o plano B é fazer o plano A acontecer.

10. Aonde quer estar nos próximos cinco anos?
Rozzen: Nos top charts da música, viajando o país e o mundo com a nossa música.

11. Qual é vossa análise sobre o mercado atual de música eletrônica?
Rozzen: Agora mais do que nunca não adianta ter talento e música boa, o artista de hoje em dia é um produtor completo no qual transmite uma imagem e um estilo de vida.

12. Quais os seus maiores diferenciais para o mercado de música eletrônica na sua visão?
Rozzen: Nós fazemos nossa própria música, desde a composição da letra, gravação de instrumentos orgânicos, até os mínimos detalhes.

13. Qual foi o primeiro disco de cada um?
Lucas Stiw: “Pelados em Santos” do Mamomas Assassinas em 1995.

Chesk: Michael Jackson “History”.

14. Qual foi a primeira música que te impactou de fato?
Lucas Stiw: A primeira que me lembro de foi “Brasília Amarela” do Mamonas Assassinas, hehe.

Chesk: “Thriller” do Michael Jackson.

15. Tem algum hobby fora música?
Lucas Stiw: Não considero a música um hobby. Mas meu hobby é jogar tênis.

Chesk: Gosto de jogar basquete e vídeo games.

16. Um sonho já realizado na vida?
Lucas Stiw: Viver de música

Chesk: Lançar música autoral por uma gravadora de renome internacional.

17. Um sonho a ser realizado?
Rozzen: Temos muitos objetivos, mas o maior sonho na música é conquistar o maior prêmio, o Grammy.

18. Uma frase que resuma sua pessoa e lifestyle?
Rozzen: ‘’The game never stop!”

Links oficiais do Rozzen:
Facebook.com/rozzenmusic
Instagram.com/rozzenmusic
Tweeter.com/rozzenmusic
Youtube.com/rozzenmusic
Soundcloud.com/rozzenmusic

by Gonçalo Vinha

Print Friendly, PDF & Email

Comente