Jean Luca e americano Michael Mayo lançam “Never Wanna Go” conquistando Topsify

DJ SOUND

Jean Luca e americano Michael Mayo lançam “Never Wanna Go” conquistando Topsify

Da geração de produtores musicais brasileiros que saíram da cena de Psytrance para o House, Jean Luca é um dínamo expansivo, e suas músicas contam com suporte de gigantes como Axwell e Sebastian Ingrosso, do Swedish House Mafia.

Jean Luca, acaba de lançar o segundo single conosco, é “Never Wanna Go”.

ouça no Spotify pelo link: https://open.spotify.com/album/2yQXg2nE5XNeGiEsWHsKAa

, pelo selo DJ Sound Music (www.instagram.com/djsound_music || https://www.facebook.com/djsoundmusicrecords), na major Warner Music (lar de nomes graúdos como Alok, Clean Bandit, David Guetta, Gorillaz, Hardwell, Robin Schulz, Pet Shop Boys, Vintage Culture, entre tantos outros, e da poderosa Spinnin Records holandesa comprada pela Warner em 2017, leia mais: Spinnin Rec Warner Music), com vocais no norte-americano Michael Mayo, a música tem pegada de verão.

Este single entrou direto no Topsify (veja: https://www.instagram.com/p/Brn5Wo8naJO/), na playlist “Eletrônicas Para Dançar”, feito conquistado também em 2018 pela cantora Juliana Barbosa com (www.instagram.com/julianabarbosamusic), onde estão nomes como David Guetta, além de outros brasileiros como Alok e Vintage Culture.

Batemos um papo com Jean Luca, desmistificando sua cara para a cena.

Fale um pouco do seu primeiro contato com a música no geral, e o contato com a música eletrônica?

Minha família sempre foi muito festeira, então sempre escutamos as músicas da TV e rádio. Creio que esse foi meu primeiro contato com a música em geral.

Com a EDM lembro que o meu primeiro contato verdadeiramente com essa música foi na infância, com a influência de meu tio, seus amigos dele gostavam muito de Daft Punk e um dia em uma viagem ao interior com meu tio ele colocou Daft Punk para a gente ouvir.

Onde aprendeu a sua técnica DJing? E como foi seu aprendizado na produção musical?

Aprendi ser DJ usando o software Virtual DJ, que na época alguns DJs da cidade usavam a ferramenta junto a CDJ e comecei a ficar de olho naquilo.

Depois aprendi a mixar na Pioneer CDJ 100 que um amigo comprou e a gente usava nas raves que eu e minha turma fazíamos.

Sobre a produção musical, acho que o primeiro passo foi comprar uma revista em meados de 2004 em uma banca de revista da cidade ao qual essa revista vinha com um CD promocional contendo o software Fruit Loops 3.5, dali então brinquei muito com o FL Studio mais nada muito sério.

Mas em 2006 começou a sair as primeiras músicas, e no mesmo ano 2006 fui convidado a tocar na Cidade do México, ao qual não toquei pois o promoter emitiu o visto de trabalho em cima da hora e demorava um mês para ficar pronto..

Quais os artistas favoritos e o que te inspira nessa música eletrônica?

Meus artistas favoritos são os suecos.

Eles fazem o meu dia mais alegre.

E o que me inspira verdadeiramente é estar vivo e ainda tendo oportunidades de fazer o que mais amo e dedico em toda minha vida, a música!

Qual sua visão de um produtor musical e DJ num mercado cada vez mais competitivo como o do Brasil?

Inicialmente eu gostaria de dizer que quanto mais fui competitivo, mais me prendi na mesmice, e não conseguia evoluir nada…

Então eu acho que esse lance da música não é como ser um piloto de Fórmula 1, que você é obrigado a sempre chegar na frente…

Esse lance da música é sim um lance onde você tem que transmitir uma frequência, uma energia de alegria para as pessoas toda vez que você faz uma música nova, ou se apresenta ao vivo.

Jean Luca

Qual o set-up atual do seu estúdio?

Meu Home Studio atual é; Um Macbook Pro 13 (2011) 4 Memoria Ram, 500HD, e processador i5, um monitor Alesis Elevate 3 (2016) e do outro lado um  M-audio Studio Pro. Uso software  Logic 9, por que acho ele mil  vezes melhor que o Logic 10.. E se o Calvin Harris explodiu “One Kisses” em 2018 usando Logic 9…

isso significa que ele é bom…

Plugins Waves kit 9.5, Oxford, Fab Filter e minha maior descoberta atual Plugins da Soundspot, recomendo muito esses plugins galera! E para sintese, Sylenth 1, Massive, Nexus e Spire.

Qual a decisão mais importante na sua vida para dedicar-se a música de forma profissional?

Acho que seria saber que tudo que fiz até hoje, não foi em vão, e que a música não me deixaria só, se um dia eu ficar sem minha mãe.

A partir de que momento passou a planejar sua carreira? Recorreu a algum profissional para lhe orientar?

Acho que quando coloquei seis músicas no Top 100 do Beatport Psytrance com meus projetos psy, eu vi que realmente eu deveria me planejar melhor em tudo aquilo que eu lançava…

Depois com  o remix da Madonna (em 2014) que alcançou milhares de acessos e antes no mesmo ano com o suporte de carreira do Axwell e do Sebastian  Ingrosso…

Eu comecei a entender que eu tinha um potencial realmente diferenciado…

Ai o Gonçalo da DJ Sound  apareceu na minha vida e começou a me dar toques de como eu deveria fazer para conseguir me destacar ainda mais…

Descobrindo os meandros da profissão o que lhe motivou, qual foi seu maior desafio até aqui?

Meu maior desafio, foi ter sido rejeitado com quem me ajudou no começo da minha carreira…

E também ter emplacado músicas no topo do Beatport e não ter sido recompensado da maneira como outros artistas são!

E o seu maior mind set no segmento até o momento, qual foi?

Foi o de nunca desistir, porque sempre quando você desiste uma parte sua para de viver.

Quais são os seus planos atuais?

Sinceramente sofrendo todos esses ataques cibernéticos que ando sofrendo, eu não faço planos, eu apenas Existo!

Aonde quer estar nos próximos cinco anos?

Quero estar apenas seguindo o meu caminho!

Qual sua análise sobre o mercado atual de música eletrônica?

Acho que vivemos uma fase onde muitos produtores surgiram, mais a essência internacional tens nos obrigado a seguir o caminho deles..

Quais os seus maiores diferenciais para o mercado de música eletrônica na sua visão?

Eu acho que é jogar limpo, e está fazendo o meu caminho sem tentar derrubar ninguém!

Qual foi seu primeiro disco?

Foi “Hallucinogic Dreams” em 2007, que saiu pela Buddha Mantra Records de Portugal…

E agora esse ano lancei meu primeiro álbum de progresive house, “On My Way”, pelo meu codinome, Jean Luca, que é o meu próprio nome.

Qual foi a primeira música que te impactou de fato?

Acho que com certeza o remix da Madonna, me emplacou no mundo inteiro e dali em diante eu tive acessos e fãs do mundo inteiro…

Depois disso já lancei pela Sony  Music, Universal (SpinnUP) e também agora pela Warner Music Brasil.

Obrigado Warner, por essa oportunidade! Te Amo!

Tem algum hobby fora música?

Sim, pedalar na floresta, ver séries e assistir vários canais no Youtube!

Um sonho já realizado na vida?

Sim alguns, como ter tocado no Brasil inteiro praticamente, e estar hoje dentro da DJ Sound Music na Warner Music Group, e dentro de um playlist de peso no Topsify!

Obrigado Topsify Brasil, por essa grande oportunidade vocês me fizeram chorar!

Um sonho a ser realizado?

Voltar a ser DJ e morrer em cima de um palco!

Uma frase que resuma sua pessoa e lifestyle?

Aproveite a vida antes que seja tarde demais, e selecione bem as suas escolhas…

Pois a morte é bem ingrata com os tolos!

Links oficiais:

Facebook:  www.facebook.com/jeanlucaofficial

Instagram: @Jeanlucamusic

Tweeter: @phantomluca

Youtube: www.youtube.com/phantomtv11

Soundcloud: www.soundcloud.com/listenjeanluca

by Gonçalo Vinha

Print Friendly, PDF & Email

Comente