Gravadora Warner Music desbanca Sony Music e compra a poderosa holandesa Spinnin Rec

DJ SOUND

Gravadora Warner Music desbanca Sony Music e compra a poderosa holandesa Spinnin Rec

Chegou ao fim uma das maiores disputas do showbusiness da Dance Music mundial, a gravadora Warner Music arrematou a gravadora holandesa Spinnin Records de Eelko van Kooten (acima na abertura) e Roger de Graaf, por mais de US$100 milhões de dólares.

Spinnin ‘Records, fundada em 1999 por Eelko van Kooten, na cidade holandesa de Hilversum tornou-se um dos maiores celeiros de sucessos mundiais da Dance Music nos últimos anos lançando “petardos certeiros” de Martin Solveig, Armand van Helden, Fedde le Grand e Tiesto.

Mas sua estrela de maior calibre e sua revelação mundial foi mesmo o jovem Martin Garrix (que rompeu com a Spinnin em 2015 – numa batalha judicial que ainda tramita em sigilo na corte de justiça holandesa), depois assinando um acordo mundial com a Sony Music Global da qual é artista hoje.

Eelko e Martin Garrix

Garrix com seu hit “Animals” extrapolou os limites geográficos pondo a Spinnin Records nos holofotes do mundo todo.

Foi também pela Spinnin Records que os brasileiros Alok, Bruno Martini e Zeeba entraram no mapa da música eletrônica mundial com o hit “Hear Me Now”

DJ Produtor Bruno Martini, vocal e músico Marcos Zeeba e DJ Produtor Alok

e que os colocou como os artistas mais tocados do país em todo o mundo entre todos os estilos musicais, num fato sem precedentes na indústria fonográfica brasileira, relegando outros estilos musicais de massa vigentes em nosso território que não alcançaram o feito.

Spinnin Records tornou-se um belo pote de ouro, só em seu canal Youtube da Spinnin (https://www.youtube.com/user/SpinninRec), conta com mais de 18 milhões de assinantes (sendo o maior canal do segmento neste) mundo, além de ter a própria editora abarcando mais dinheiro com este lado mediante os licenciamentos para outras gravadoras do mundo todo interessadas em sua música coroada.

Agora é fato consolidado que a Spinnin Records aceitou a oferta da Warner Music Group em detrimento da Sony Music (“num dos maiores tapas na cara que a companhia levou!”), numa disputa de quase dez meses de conversas, que incendiou o “backstage do mercado fonográfico” da Dance Music mundial.

O objetivo da Warner Music Group é trabalhar todos os segmentos da Dance Music, do Underground ao Mainstream.

Warner Bros. Records veio com tudo pondo no comando da Dance Music em seu headquarter de dois especialistas no campo: Taryn Haight, que foi nomeado Diretor de Marketing de Dance e Relações com Artistas, e Lauren Lipsay, que se junta ao selo como Gerente de Marketing de Dance Music.

Juntos, serão responsáveis ​​pelo desenvolvimento de artistas de dança Warner Music Group bem como por artistas de Dance Music selecionados que chegam aos EUA dos escritórios da Warner Music Group e Parlophone em todo o mundo.

Haight se junta à Warner Music Group vinda da gravadora da Ultra Music (que pertence a Sony Music), onde foi Gerente de Marketing, trabalhando com artistas como Benny Benassi, The Bloody Beetroots, Araabmuzik, Wolfgang Gartner e outros.

Antes da Ultra, ela escreveu uma coluna de música para o The Huffington Post e também ajudou a lançar a rede de dança premium do YouTube, Dance On, atuando como Supervisor de Música.

Lipsay é um jornalista e estrategista realizado no mundo da música de dança, tendo trabalhado extensivamente com publicações como Rolling Stone, Billboard, Dancing Astronaut, Elektro e Inthemix.

Com a compra da Spinnin Records a Warner Music Group expande seus tentáculos na Dance Music ao qual já tem nomes de sucesso como David Guetta, Galantis, Clean Bandit, Oliver Heldens, Robin Schulz, além do selo Tommy Boy (lar de Information Society, De La Soul…), o britânico ditador de tendências Pete Tong, também está com seu selo FFR fechado com a Warner.

Steve Aoki (artista da Sony Music) confiou a Warner à guarda dos direitos autorais do seu selo Din Mak, e artistas dele como o agora brasileiro Vinci, estão com os cuidados do “W Team”.

Entre os próximos lançamentos estão, Oliver Heldens e “Gecko (Overdrive)” da Becky Hill, que só estreou como “Hottest Record in the World” da Zane Lowe na BBC1.

O single vem através da parceria WBR / Parlophone com a FFRR, o aclamado rótulo eletrônico fundado pelo pioneiro DJ britânico Pete Tong.

Warner Music Group também lida com o Marketing dos Estados Unidos para ficar no radar da UK One More Tune (OMT), liderada por Anton Partridge.

Outros lançamentos programados já incluem um remix de Tom Starr do “Shake That” de Dansson & Marlon Hoffstadt e remixes de “Come On Now (Set It Off) por Tube & Berger feat”. Juliet Sikora.

O presidente e CEO da Warner Music Group Cameron Strang observaram:

“É nossa missão buscar a excelência criativa onde quer que esteja independentemente do gênero.

O nível de talento inovador e excepcional dentro da crescente cena da música de dança é extraordinário e continuamos a aprofundar nosso compromisso com esta esfera em rápida evolução.

Estou emocionado de receber Taryn e Lauren na equipe Warner Music Group”.

Brian Frank comentou: “A cultura da música de dança é única em nossos negócios, e jogar nessa arena requer uma visão especializada da comunidade e experiência imersiva em seus artistas e vários subgêneros.

Taryn e Lauren trazem uma riqueza de conhecimento e experiência para seus novos posts, à medida que expandimos nosso enclave dedicado dentro da WBR para reconhecer, cultivar e comercializar artistas notáveis ​​criando música vital”.

Um dos principais articuladores para o sucesso de compra pela Warner foi Stu Bergen (CEO mundial da Warner), que encabeçou desde o início e deu o cheque mate nos últimos dias, depois de liderar as negociações de forma mais incisiva nos últimos quatro meses.

Stu Bergen – CEO mundial da Warner

Bergen é agressivo e habilidoso nas negociações o que lhe garantiu êxito nas operações de aquisição as Warner de selos de quilates como Gallo Records (África do Sul), Gala Records (Rússia), Gold Typhoon (China), Polskie Nagrania (Polônia), ISS (Indonésia) e X5 (Suécia).

Em agosto, a Warner adiquiriu também o selo californiano Artery Recordings, enquanto em julho a WMG relançou Sire Records sob o novo presidente Rani Hancock.

O selo Atlantic da (Warner’s Atlantic) também recentemente pressionou a estrela mundial Sia (atual Sony Music), em um novo acordo mundial, tudo liderado por Bergen.

As três maiores gravadoras do mundo: Universal Music (detentora do selo Aftercluv), Sony Music (dona do Ultra Records, do festival Ultra), e Warner Music, querem ter selos de música eletrônica, pelo poder de faturamento, que estes selos começaram a ter no mercado mundial.

Um dos próximos rounds da indústria da Dance Music deve ser a compra da também gravadora holandesa Armada (de Armin Van Buuren), que já estava no radar de negociações da Sony Music, que agora desbancada pela Warner com a Spinnin, deve partir com a faca nos dentes para arrematar esta para não correr o risco de ser adquirida pelas concorrentes Universal Music Group e Warner Music Group.
Sobre a Warner:

Warner Music Group (WMG), fundada em 1958, cuja matriz é em Nova Iorque, é o maior conglomerado norte-americano, é a terceira entre as três maiores gravadoras do mundo, as outras duas são: Universal Music, a primeira, e a Sony Music Entertainment, a segunda maior.

A empresa possui as maiores e mais bem sucedidas gravadoras, incluindo os selos próprios: Warner Bros. Records Inc. e Atlantic Records.

Em 2013, a Warner Music Group adquiriu um conjunto de ativos vendidos pela Universal Music Group sobre a aquisição da EMI Music Group incluindo a Parlophone Records.

Em maio de 2011 o grupo Access Industries assumiu o controle acionário da empresa em uma negociação de 3,3 bilhões de dólares, assumindo uma divida de mais de 1 bilhão e 900 milhões de dólares.

Com uma abordagem visionária para descobrir e nutrir o talento musical, a família de rótulos da Warner Bros. Records atualmente abriga uma impressionante geração de grandes artistas.

A série Warner Bros. inclui: Avenged Sevenfold, The Black Keys, Biffy Clyro, Michael Bublé, Gary Clark Jr., Deftones, Jason Derulo, Disturbed, Foals, The Flaming Lips, Goo Goo Dolls, Josh Groban, Iron and Wine, Linkin Park Mastadon, Muse, Neil Young & Crazy Horse, Red Hot Chili Peppers, Regina Spektor, Selo, Tegan e Sara, e muitos outros. Os artistas em ascensão incluem Atlas Genius, Dale Earnhardt Jr. Jr., JEFF The Brotherhood, Kimbra, Lianne La Havas, LP, Nico & Vinz e Wavves. O catálogo rico e diversificado na família de rótulos da Warner Bros. inclui gravações de Black Sabbath, Miles Davis, Dire Straits, Grateful Dead, the Kinks, Madonna, Randy Newman, Prince, Ramones, Talking Heads, James Taylor, Tom Petty e os Heartbreakers, Van Morrison, Van Halen, Bruno Mars, Coldplay, Jason Mraz, Ed Sheeran, Wiz Khalifa, Janelle Monáe, Skrillex, Trey Songz, e Hunter Hayes, além de já ter gravações de nomes como Aretha Franklin, Led Zeppelin, Ray Charles, Otis Redding, The Rolling Stones, Cher, Genesis, Cream, Rush, Mr. Big e Mike Stern.

Sites oficiais:
Warner > http://www.wmg.com
Spinnin Records > https://www.spinninrecords.com/

by Gonçalo Vinha

Print Friendly, PDF & Email

Comente