Dash Berlin, atual, old school e ainda trancer! Seu negócio foi fazer o público dançar e cantar

DJ SOUND

Dash Berlin, atual, old school e ainda trancer! Seu negócio foi fazer o público dançar e cantar

Depois da publicação sobre os hits dançantes de Dash Berlin DASH BERLIN no ULTRA Brasil rio 2016 não podemos deixar os fãs mais antigos do holandês, desamparados diante da incrível playlist, principalmente do final do seu set, que fez muitos “trancers” pularem bastante.

O set foi justo, pois agradou a todos.

Damian Pinto, o locutor do Ultra Worldwide, anunciou Dash Berlin perguntando quem estaria pronto para o Trance e já de cara se iniciou o set com um trecho da belíssima “Silence” e depois em meio a tantos hits dançantes prestigiou seus fãs com “Janeiro” de sua autoria.

Dash Berlin foi tão honesto em seu set que agradou até os mais “velhinhos” com algumas tracks old school, “We Are In Heaven” virando para “Sweet Dreams” e, simplesmente mitou ao mandar “Listen To Your Heart” de Roxette !!!!

“Comming Home” e “Another You” de Armin van Buuren não podem deixar de ser citadas, mas “Waiting”, também por ser de autoria do monstro que comandava as pick-ups, causou uma emoção muito grande e de fato é uma track mais emotiva ❤

Dash Berlin

Dash Berlin

“Jar of Hearts” causou uma enorme explosão no público que pulava muito.

O DJ holandês a todo momento interagia muito com o público, ao contrário de outras apresentações o telão central focou bastante no artista que também desceu e ficou diante dos sortudos que conseguiram lugar à grade.

Seu headphone também foi para galera no final do set!

No mesmo dia, horas antes tinha tocado Cris Schweizer também no Ultra Main Stage que recebeu homenagem do seu remix para “Better Half of Me”

Mas se tem uma track que causa a mesma impressão por onde for, pelas mãos de qual DJ for, em qualquer público no mundo é “Exploration of Space” o que aconteceu lá foi inexplicável, fogos, aquelas baixadas de som em que se ouvia apenas o público, pessoas pulando nas arquibancadas, na pista, onde fosse…!

Mas depois de toda acelerada, tem uma calmaria e nosso queridinho da Holanda acalmou como nunca, ao quebrar a track, virando para “Adele – Hello”.

Já que o público está acostumado a cantar Adele desde a Tomorrowland porque não manter o público cantando então!

Assim foi, mas dessa vez com Trance de novo “Gareth Emery – Concret Angel” (ok, mas nessa hora o coro não foi tão alto, infelizmente).

Então falamos do estrondante final do set que para os “trancers” deu aquela salvada diante de algumas tracks chacotinhas do início!

“Blade” virou lindamente com “Seven Nation Army” que teve na sequência uma das track do produtor mais animadas de todos os tempos: “Till The Sky Falls Down”.

by Mariela Gregori

pics by Guga Oliveira

 

Print Friendly

Comente