Clubs brasileiros sobem posições e outro perde majestade em ranking mundial

DJ SOUND

Clubs brasileiros sobem posições e outro perde majestade em ranking mundial

Os clubs brasileiros vem permeando as posições do famoso ranking dos melhores clubs do mundo da revista inglesa DJ Mag.

No recém divulgado ranking de 2016 o club catarinense Green Valley perdeu a majestade do primeiro lugar no ranking e agora ocupa a segunda posição, o grande vencedor foi o club Space de Ibiza que por acaso encerra sua história nesta temporada 2016, o club será demolido e vai se transformar no espaço chamado Ushuaia Night (se você ainda não foi para Ibiza vá e não perca esta temporada que promete ser histórica).

Space Ibiza

Space Ibiza

Os demais clubs brasileiros performaram bem e subiram de posições, mais  seis clubs brasileiros apareceram na lista, incluindo algumas supresas como Matahari (na 37ª. posição, subindo seis posições em relação a 2015) e o El Fortin (na 40ª. posição, subindo sete degraus).

El Fortin

El Fortin

O El Fortin foi muito discriminado, pelos clubs concorrentes de Santa Catarina, pelo seu público e acabou se tornando importante polo de diversão e com sucesso, muitos agora comparam a direção e sonoridade artística do El Fortin ao que vem sendo feito no club Green Valley (o que tem desagradado vários frequentadores que deixaram o club de lado e foram para outros clubs como o Warung (com um público mais lindo e antenado do que nunca), e até mesmo migraram para outros estilos musicais como Funk N Rio e Sertanejo numa realidade de mercado).

Green Valley

Green Valley

warung_2

Os veteranos na premiação como  Sirena (#9º), Anzu (#18º. ) recém reformado, Warung (#21º) e D-Edge (#56º), subiram de posições, respectivamente:  uma, também uma, cinco, uma.

Club Sirena

Club Sirena

Para o mercado brasileiro é orgulho termos esses clubs como cartões de visitas de nossa cena, também é hora de muita reflexão e mais ginástica dos donos desses clubs e promoters que estão num momento onde há muitos questionamentos de direção artística, apenas Warung e D-Edge mantém sua veia condutora original, os demais vem norteando-se e aventurando-se por outros caminhos digamos mais ecléticos, alguns com perdas de identidade e passado glorioso como o Green Valley.

D-Edge

D-Edge

Nestes últimos cinco anos o mercado de música eletrônica se expandiu em algumas de suas engrenagens no Brasil, mas em outras encolheu absurdamente; DJs debandaram de estilo, carreiras de anos foram a pino, tudo pode (e deve) ser um ciclo natural.

Mas isto é um negócio e todos querem permanecer o mais tempo possível no jogo.

Lamenta-se de toda forma um dos piores momentos da sonoridade ouvida nos clubs e eventos de música eletrônica como nunca antes.

anzu_10

Para refletir?!!!

Ou apenas para deixar as coisas caminharem conforme as vontades (ou deformidades) de quem comanda os clubs?

A resposta é difícil e abre vários caminhos, assim como público que escolhe qual lugar frequentar e o que ouvir.

Veja a lista completa do ranking dos melhores clubs do mundo no link: https://djmag.com/top100clubs?year=2016

by Lucas Mazzon

Print Friendly

Comente