Cidade Negra canta Gilberto Gil sob batidas eletrônicas do Digital Dubs e sopros do Maestro Spok

DJ SOUND

Cidade Negra canta Gilberto Gil sob batidas eletrônicas do Digital Dubs e sopros do Maestro Spok

Homenagem acontece no dia 23 de setembro, quando CeeLo Green encerra o palco!

No mesmo dia em que CeeLo Green encerra a noite do Palco Sunset, 23, a organização do Rock in Rio 2017 anuncia uma homenagem a Gilberto Gil sob o som da banda Cidade Negra, influenciada pelo artista desde a sua formação.

Será um encontro que contará com as batidas eletrônicas do coletivo de música Digital Dubs e seis sopros do Maestro Spok.

Digital Dubs

Maestro Spok

De acordo com o diretor artístico do palco, Zé Ricardo, este encontro será um grande desafio. “Estamos trazendo uma proposta muito ousada ao juntar a batida eletrônica com os sopros, que são quase um jazz.

Será uma mistura deliciosa e muito diferente aos ouvidos do público. Certamente encantaremos com o inusitado”, aponta Zé Ricardo.

A apresentação traz o Hip Hop nas batidas eletrônicas juntando-se ao reggae do Cidade Negra, além de seis sopros em uma formação exclusiva para este repertório que traduz um pouco a influência de Gil na história do Cidade Negra.

“É incrível podemos levar para o público a música de Gilberto Gil.

Uma honra. Será um setlist muito rico, cheio de hits do artista”, garante o diretor.

A banda Cidade Negra já esteve no Rock in Rio em alguns momentos. No Palco Mundo, em 2015, e no Palco Sunset, com Martinho da Vila e Emicida, em 2011.

Sobre Cidade Negra
A banda celebrou, em 2016, três décadas do disco “Sobre Todas as Forças” com uma turnê pelo Brasil – Toni Garrido, Bino Farias e Lazão são os componentes do grupo atualmente.

Misturando reggae e música Pop, o Cidade Negra continua embalando o público com canções como “A Sombra da Maldade”, “O Erê”, “Pensamento” e “Firmamento”.

Em 2011, foi uma das atrações do “Rock In Rio IV”, apresentando-se com grande sucesso de público no Palco Sunset, no qual dividiu a noite com Martinho da Vila e o rapper paulista Emicida.

A banda começou em 1980 com uma linha Reggae Roots.

Logo depois, em suas outras formações, passou para o pop. Seu primeiro disco, “Lute para viver” (1991), foi lançado pela Sony Music.

Desde então, já foram mais nove álbuns: “Sobre todas as forças” (1994); “O Erê” (1995); “Quanto mais curtido melhor” (1998); “Enquanto o mundo gira…” (2000); “Acústico MTV” (2002); “Perto de Deus” (2005); “Cidade Negra – Perfil” (2008); “Que assim seja” (2010).

O trabalho mais recente do Cidade Negra, “Hei, Afro!”, foi lançado em 2012.

Sobre Digital Dubs
Digital Dubs foi fundado em 2001 e é formada por MPC (produtor), Tommaso (organizador), Jeru Banto (cantor/MC), Jota 3 (cantor/MC), Cabeça (promoter), Nelson (produtor), Cristiano (MC), Jr Ramos (cantor), Careca (organizador) e Kuque (seletor).

O grupo carioca é a primeira equipe de som especializada em reggae e dub, já tendo ganho o Prêmio Orilaxé da ONG Afroreggae em 2008.

O coletivo é o principal representante da cultura sound system no Brasil e vem, cada vez mais, conquistando reconhecimento.

Os primeiros álbuns e singles em vinil foram lançados pelo próprio selo (Muzamba), mas o grupo também já gravou por renomadas gravadoras internacionais como ROIR, Soul Jazz, Universal Egg, Wordsound, Man Recording, entre outras.

No currículo no grupo, há apresentações nos tradicionais bailes no Rio e turnês por toda Europa, EUA e América Latina, além de festivais como Tim Festival, Universo Paralello e Rototom Sunsplash na Espanha.

Sobre Maestro Spok
Inaldo Cavalcante de Albuquerque, o Maestro Spok formou o projeto SpokFrevo Orquestra, que tem o ritmo nordestino como essência, mas encanta o público com a clara influência do jazz.

O Maestro atua também como saxofonista, arranjador e diretor musical.

A ideia do SpokFrevo Orquestra teve início em Recife (PE), em 2003 e ela é formada por 18 músicos pernambucanos, que botam para tocar saxofones, trombones, trompetes, além de guitarra, contrabaixo, bateria e percussão.

O Maestro Spok e seu conjunto já estiveram em quase 20 países da Europa, Ásia e África. Realizou concertos em palcos célebres, como New Morning, Roskilde, Montreux, Barbican, Pori Jazz, Womex, entre outros, sempre apresentando o frevo como arte e linguagem musical única, inserindo-o com propriedade nos universos do jazz e da world music.

Junto de seu projeto, ele lança seu álbum de estreia, o “Passo de Anjo” (2004), que foi lançado Ao Vivo pelo Biscoito Fino dois anos depois.

Em 2005, a orquestra participou do CD “Na embolada do tempo”, 26º disco-solo lançado por Alceu Valença.

Um dos destaques da Orquestra foi a participação no CD duplo “Cem anos de frevo” (2007), lançado pela Biscoito Fino, que reuniu vários artistas consagrados da MPB, como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Alceu Valença, Maria Bethânia, Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Silvério Pessoa, Geraldo Azevedo e Chico Buarque, entre outros.

O álbum traz um repertório que vai do clássico a sucessos inquestionáveis do gênero.

Sobre o Rock in Rio
O Rock in Rio é o maior evento de música e entretenimento do mundo.

Criado em 1985 e com 32 anos de vida, é parte relevante da história da música mundial.

O evento já soma 17 edições, 101 dias e 1.604 atrações musicais.

Ao longo destes anos, mais de 8,5 milhões de pessoas passaram pelas Cidades do Rock.

Nascido no Rio de Janeiro, o Rock in Rio conquistou não só o Brasil como, também, Portugal, Espanha e, em maio de 2015, chegou aos Estados Unidos da América, sempre com a ambição de levar todos os estilos de música aos mais variados públicos.

Muito mais que um evento de música, o Rock in Rio pauta-se também por ser um evento responsável e sustentável.

Em 2001, através do projeto social “Por um mundo melhor”, assumiu o compromisso de consciencializar as pessoas para o fato de que pequenas atitudes no dia-a-dia são o caminho para fazer do mundo um lugar melhor para todos.

Em 2013, o Rock in Rio recebeu a certificação da norma ISO 20121 – Eventos Sustentáveis, um reconhecimento do poder realizador da marca que desenvolve diversas ações com vista à construção de um mundo melhor, como a criação de 182.500 empregos diretos e indiretos no total das 17 edições, e mais de R$ 71 milhões investidos em causas socioambientais e a construção de um legado positivo para as cidades onde o evento é realizado.

Print Friendly, PDF & Email

Comente